domingo, 25 de junho de 2017

Proposta de privatização com pedágios a R$ 7 preocupa moradores no Sul de MG

Pelo menos sete praças de pedágios seriam instaladas em rodovias como a BR-146, a BR-459, a MG-290 e a MG-459.
A proposta do governo de Minas Gerais de privatizar algumas rodovias do Sul de Minas tem causado polêmica. Serão pelo menos sete praças de pedágios espalhadas por várias cidades. Muita gente não concorda com o projeto principalmente por causa do preço inicial indicado para carros, de R$ 7.
Uma das praças de pedágio seria instalada na BR-146, no trecho entre Andradas e Poços de Caldas. Outras três seriam na BR-459, entre Poços de Caldas e Caldas, outro em Congonhal e outro entre Santa Rita do Sapucaí e Itajubá. Outras duas praças seriam instaladas na MG-290, entre Pouso Alegre e Jacutinga e uma na MG-459, em Monte Sião.
O pedágio seria cobrado nos dois trechos da rodovia, ou seja, na ida e na volta do motorista, segundo o edital da Secretaria de Transportes e Obras Públicas do estado. Ainda conforme o edital, o preço da tarifa seria em média de R$ 7.
"Nós somos totalmente contra, nós estamos tendo um pedágio aqui que vai cortar o nosso município. Nós temos dois grandes distritos, como Santana de Caldas e Laranjeira de Caldas, que vão ser divididos por esse pedágio até a sede, que o pessoal depende de ir na sede, depende de atendimento bancário, atendimento do nosso hospital, muitas vezes vêm várias vezes ao dia", disse o prefeito de Caldas, Ulisses Borges.
Proposta para privatização de rodovias com pedágios a R$ 7 preocupa moradores no Sul de MG
Proposta para privatização de rodovias com pedágios a R$ 7 preocupa moradores no Sul de MG


A tarifa é bem superior ao dos pedágios já existentes na região, como a Rodovia Fernão Dias, em que é cobrado R$ 2,10. A preocupação aumenta ainda para os motoristas de veículos pesados e de transporte público, que teriam que pagar o dobro.

"Vai doer no bolso do consumidor e com essa crise, qualquer economia é bem vinda. A gente tenta economizar de um lado e os pedágios vai fazer gastar de outro, fica complicado", disse o administrador de empresas, Fernando Fiorentini.

As empresas que ganharem a licitação para a instalação dos pedágios vão pagar um valor ao governo do Estado para explorar os trechos. O prefeito de Poços de Caldas quer que esse dinheiro seja investido nas próprias estradas da região.


"Eu queria que tivesse uma lei específica, que todo esse dinheiro que fosse arrecadado nas estradas da nossa região, fosse obrigatoriamente investidos em cidades da nossa região, porque senão o governo vai pegar o que é gerado aqui e acaba investindo no Norte de Minas, que eu reconheço que há necessidade, porém o que é gerado aqui no Sul de Minas tem que ser investido aqui no Sul de Minas, foi uma sugestão que eu fiz para que haja um projeto de lei nesse sentido", disse o prefeito de Poços de Caldas, Sérgio Azevedo.

Segundo a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas, o edital da concessão deve ser publicado até o mês de agosto. O prazo previsto para a concessão é de 30 anos.

Fonte: G1
Proxima Noticia Proxima Noticia
Noticias anteriores Noticia Anterior
Proxima Noticia Proxima Noticia
Noticias anteriores Noticia Anterior
 

Enviado by FeedBurner