sexta-feira, 11 de agosto de 2017

'Ela me vendeu o bebê', afirma sequestradora que foi presa em Pinhal nesta quinta-feira

Sequestradora disse ainda que, após fazer o pagamento, a mãe se recusou a entregar a criança e por esse motivo ela a sedou.Lindaura foi presa na noite de quinta-feira em um sítio próximo ao pedágio em Espírito Santo do Pinhal (SP). Alem de Lindaura, foram presos: Pedro José da Silva, taxista de 69 anos, Cíntia Tomás de Carvalho, de 23 anos que é nora de Lindaura. Alem disso a filha da sequestradora, de apenas 13 anos foi apreendida por suspeita de participação no crime.
Aos jornalistas, Lindaura disse que era a única responsável pelo crime, na tentativa de inocentar sua nora e o taxista.

"O negócio é eu. Eu paguei R$ 5 mil para a mulher me dar o bebê e ela aceitou"

A sequestradora ainda afirma que o valor pago a mãe seria para comprar uma moto para seu marido.

Lindaura confessou ter dado remédio tarja preta em que ela é acostumada a tomar no intuito de sedar a vítima. Alem disso ela negou que teria simulado uma gravidez para manter o relacionamento com seu namorado, e que a intenção era apenas de cuidar e criar a criança, já que se sentia sozinha desde que perdeu seu bebê com sete meses e meio de gestação. 

Segundo Lindaura, após receber o valor, a mãe do bebê teria decidido não entregar a criança.

O taxista Pedro e a nora de Lindaura, Cintia, negaram participação no sequestro e afirmaram que a todo momento Lindaura escondeu o bebê.

Cintia ainda afirmou que foi passear com Lindaura e mesmo assim não notou a presença da criança dentro do veículo, por estar muito bem enrolada e escondida. Ela ainda afirma que não teria entrado no táxi se soubesse que lá tinha uma criança.

A Polícia Civil ainda trabalha na conclusão do caso.  Segundo o delegado regional, Gustavo Manzoli, foi realizada uma união de esforços para que o caso obtivesse um final feliz.  

Inicialmente a Polícia Militar levantou a suspeita que sequestradora teria fugido em um ônibus, mas na sequencia a Polícia Civil chegou a informação de que a sequestradora teria se deslocado de táxi para o interior de São Paulo, mais precisamente em Espírito Santo do Pinhal (SP). Após  o taxista apresentar uma versão contraditória, a polícia localizou a filha da suspeita e os fatos foram aclarados, possibilitando que a equipe de Andradas efetuasse diligências no Distrito da Gramínea e posteriormente em Espírito Santo do Pinhal, localizando a suspeita. A Polícia Civil investiga também como a sequestradora conseguiu um documento de nascido vivo emitido apenas por Hospitais, para confeccionar esta certidão de nascimento.

A delegada Michele Rocha, contou que ao chegaram no imóvel onde o bebê era mantido, encontrou Lindaura com Yasmin no colo, em um dos quartos da casa. A criança aparentemente estava alimentada e bem cuidada, enquanto a suspeita afirmava que a criança era dela, apresentando inclusive uma Certidão de Nascimento.

Mas a versão não foi mais aceita, já que sua nora Cíntia afirmou que sua sogra manteve uma falsa gravidez e que procurava uma criança para justificar o nascimento.

O delegado Fabiano Mazarotto afirma que a polícia tem elementos suficientes para provar que o crime foi planejado. "Uma gravidez dura nove meses e, embora ela realmente tenha engravidado, teria tido um aborto espontâneo e precisava sustentar a gravidez para o namorado, com o tempo ela passou a tentar obter uma criança, primeiro com a adoção, e por fim com o sequestro"

Outro fato importante, e que a sequestradora já tinha adquirido no começo de julho uma certidão de nascimento. A certidão foi realizada em um cartório e tem validade documental.
Proxima Noticia Proxima Noticia
Noticias anteriores Noticia Anterior
Proxima Noticia Proxima Noticia
Noticias anteriores Noticia Anterior
 

Enviado by FeedBurner