quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Mulher suspeita por furto é executada a pauladas, com tiro e carbonizada em Mogi-Guaçu (SP)

Segundo informações, ela teria furtado o estabelecimento de um dos autores do crime. Foi identificada como Luciana Campos Tavares, 32 anos, a mulher conhecida como Carioca, encontrada nesta terça-feira (10) carbonizada na Zona Rural do Mato Seco. Ela é natural de Duque De Caxias/RJ, e residia no Jardim Boa Vista, em Mogi Guaçu.Antes de ser queimada, ela foi agredida por três homens a ‘pauladas’ e também foi alvejada com um disparo de arma de fogo.

Um dos autores do crime, o mecânico Marcelo Barbosa Guslafer, 35 anos, foi preso na noite de terça-feira. Segundo apurado, ele e outros comparsas mataram Carioca. Ela teria furtado o estabelecimento de um deles.

O delegado Alexandre Henrique Leme da Silva determinou a prisão em flagrante do mecânico por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, uso de fogo, impossibilidade de defesa da vítima e poderá ainda ser enquadrado no crime de feminicídio, que é assassinato de mulher pelo fato de ser do sexo feminino. Responderá também por tentativa de homicídio de uma testemunha que sobreviveu.
O delegado também pediu a prisão de dois comparsas identificados como Jucimar Josias de Souza, 30 anos, e Leonardo Augusto Teixeira, 22 anos. O delegado considera a prisão dos envolvidos necessária ‘pois a liberdade dos indiciados pode implicar no descrédito da Justiça e colocar em risco a integridade física e psicológica da sociedade’. “Agiram por motivo fútil, cruel”, considerou o delegado.

Um homem de 42 anos, que conseguiu escapar da execução, foi quem correu até o Itaqui e pediu ajuda a sitiantes. Populares localizaram o corpo e acionaram a Guarda Civil Municipal. O homem que sobreviveu disse que estava com Carioca, quando três homens em um veículo Palio/Weekend, cor vermelha, parou ao lado dos dois e os forçaram a entrar no carro.

Eles foram até uma plantação de eucaliptos próximo a Rodovia SP-340. Lá, a mulher foi agredida a pauladas pelos três homens. Leonardo teria saído em seguida e retornado com um galão de gasolina. Foram até o Jardim Igaçaba onde em uma residência pegaram uma arma de fogo de grande porte e rumaram para a região do Mato Seco.

Lá, a mulher foi novamente agredida a pauladas. Momento em que Jucimar atirou uma vez contra a mulher. A testemunha disse que Jucimar tentou disparar contra ele três vezes e como a arma falhou conseguiu escapar até chegar ao sítio e pedir ajuda. Disse que ainda conseguiu ver quando um deles jogou gasolina sobre a mulher e a incendiou.

Guardas civis fizeram o patrulhamento com as características dos suspeitos e conseguiram localizar apenas um, que foi preso. Na casa de um deles foi encontrada munição de arma calibre .40 que foi apreendida pela perícia da Polícia Científica.

Fonte e fotos: Gazeta Guaçuana





A ocorrência foi apresentada pelos guardas Fernandes, Geraldo, Gonçalves e Garcia da ROMU (Ronda Ostensiva Municipal).
Proxima Noticia Proxima Noticia
Noticias anteriores Noticia Anterior
Proxima Noticia Proxima Noticia
Noticias anteriores Noticia Anterior
 

Enviado by FeedBurner