-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
Para conhecer melhor o mercado de cafés especiais no Brasil, a BSCA solicitou uma pesquisa para a Euromonitor International, empresa sediada em Londres. No final do ano passado, o levantamento feito pela Euromonitor foi apresentado para a BSCA e revela que o consumo de café especial no Brasil está indo de vento em popa.

A pesquisa, realizada junto a cafeterias e varejo em geral, mostra que o mercado de cafés especiais movimentou, em 2016, R$ 3,2 bilhões somente no varejo. Esse valor representa 5,1% do total de cafés comercializados no País, e revela que o especial vem conquistando seu espaço. Para se ter uma ideia, entre 2012 e 2016, o crescimento médio anual no consumo (volume) de café especial foi de 18,1%.

Para o consultor da Euromonitor, Rodrigo Augusto de Godoi, a “grande variedade, qualidade e a busca por sabores e regiões diferentes de origem têm influenciado positivamente o crescimento desse mercado”. A pesquisa projeta crescimento no consumo no País, até 2021, de 1,7 milhão de sacas de especiais. As cápsulas terão grande influência nesse crescimento que, no entanto, para expandir de fato, terão que se adaptar às exigências das questões ambientais, com versões de cápsulas retornáveis e biodegradáveis.

A pesquisa indica que, até 2020, o varejo de cafés especiais irá movimentar R$ 6,4 que terá ainda mais relevância em cafeterias e é, atualmente, responsável por até 45% do volume de vendas. De acordo ainda com os resultados, é o principal consumidor do grão especial, que é aquele que gosta de comprar o grão e preparar o café em casa, desde a moagem até a confecção da bebida.

A pesquisa também identificou o perfil do consumidor de café especial e o perfil das cafeterias brasileiras.

Fonte: BSCA