A orientação é que o consumidor que se sentir lesado produza o máximo de provas materiais que conseguir: nota fiscal, foto dos preços, endereço completo.

Com a greve dos caminhoneiros afetando o abastecimento de gasolina e etanol, muitos postos começaram a aumentar os preços desde a tarde de quarta-feira (23). Por causa disso, o Procon de São Paulo orienta a todos os consumidores a exigir a nota fiscal para comprovar que não foram vítimas de abuso por parte dos postos.


Os consumidores não só devem pedir a nota como também o documento deve informar o preço pago por litro do combustível e a quantidade abastecida. Em casos de abuso no preço, em razão da falta de combustível, a pessoa pode registrar a denúncia no órgão.

Para que o órgão chegue até os valores abusivos, é importante que cada consumidor produza o máximo de material que conseguir (nota fiscal, foto dos preços, endereço completo) e denuncie. As denúncias podem ser feitas pessoalmente

A representante do Procon informou ainda que as práticas abusivas ocorrem nos casos em que há elevação injustificada do preço da gasolina e do etanol, aproveitando-se de uma determinada situação. “Para tanto, é necessária uma avaliação de cada caso”, disse Cláudia, salientando a importância do registro da denúncia.

No Estado de São Paulo ainda não houve nenhum registro de postos de gasolina fechados em decorrência do aumento repetindo dos preços. Em contrapartida, passando pelas ruas da capital  e algumas cidades do interior é possível ver que os valores subiram expressivamente.
Edição Portal de Pinhal / Fonte parcial: Gazeta do Povo

Postos que abusarem no preço podem ser multados e até fechados, diz Procon

A orientação é que o consumidor que se sentir lesado produza o máximo de provas materiais que conseguir: nota fiscal, foto dos preços, endereço completo.

Com a greve dos caminhoneiros afetando o abastecimento de gasolina e etanol, muitos postos começaram a aumentar os preços desde a tarde de quarta-feira (23). Por causa disso, o Procon de São Paulo orienta a todos os consumidores a exigir a nota fiscal para comprovar que não foram vítimas de abuso por parte dos postos.


Os consumidores não só devem pedir a nota como também o documento deve informar o preço pago por litro do combustível e a quantidade abastecida. Em casos de abuso no preço, em razão da falta de combustível, a pessoa pode registrar a denúncia no órgão.

Para que o órgão chegue até os valores abusivos, é importante que cada consumidor produza o máximo de material que conseguir (nota fiscal, foto dos preços, endereço completo) e denuncie. As denúncias podem ser feitas pessoalmente

A representante do Procon informou ainda que as práticas abusivas ocorrem nos casos em que há elevação injustificada do preço da gasolina e do etanol, aproveitando-se de uma determinada situação. “Para tanto, é necessária uma avaliação de cada caso”, disse Cláudia, salientando a importância do registro da denúncia.

No Estado de São Paulo ainda não houve nenhum registro de postos de gasolina fechados em decorrência do aumento repetindo dos preços. Em contrapartida, passando pelas ruas da capital  e algumas cidades do interior é possível ver que os valores subiram expressivamente.
Edição Portal de Pinhal / Fonte parcial: Gazeta do Povo

Publicidade
 Clique para acessar o site da Varanda Italiana
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário