-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
IMAGEM ILUSTRATIVA - GOOGLE
Carolina Rocha, médica veterinária e fundadora da Pet Anjo, explica os benefícios dos bichinhos para a terceira idade; Animais adultos são os mais recomendados

Muitos estudos indicam que os animais de estimação podem trazer diversos benefícios para os humanos. Na terceira idade, porém, as vantagens de conviver com um pet são ainda maiores. A falta de uma ocupação diária e muitas vezes a solidão, faz com que os idosos não sintam-se motivados a se exercitar, manter os cuidados com a casa e até a manterem vínculos sociais. A responsabilidade de cuidar de um animalzinho e o carinho e companhia que ele traz, tem se mostrado como um ótimo remédio, ou ao menos, ótima vitamina para tantos avós e avôs.

Uma pesquisa publicada no National Center for Biotechnology Information, indicou que os idosos que têm um animal em casa apresentam maior bem-estar psicológico e físico. Além disso, dois terços das pessoas na terceira idade consideraram os animais como seus "melhores amigos" e "razão para se levantar de manhã", e setenta e cinco por cento consideraram sua saúde "excelente" com os pets. Tuo isso porque eles podem ajudar a diminuir o estresse, depressão, mau humor, insônia, falta de apetite e dor.

Hoje é o Dia dos Avós (26) e a Carolina Rocha, médica veterinária e fundadora da Pet Anjo, plataforma de plataforma que oferece Dog Walker, Pet Sitter e Hospedagem Familiar, lembra a importância dos idosos possuírem um animal de estimação. Além disso, dá dicas de como promover esse convívio.

Saúde Física
Adultos com mais de 65 anos precisam de pelo menos, uma vez por semana, duas horas de atividades físicas. Com os bichinhos, os idosos têm uma justificativa para realizá-las, o que inclui passear e caminhar com o cão, e acompanhado a atividade se torna mais agradável. Além disso, as brincadeiras sempre deixam o dono em movimento constantemente.

Qual animal escolher?
É importante que o animal não traga preocupações e dores de cabeça para o idoso, por isso, é necessário analisar as características e saúde do bichinho.

O ideal é escolher um animal adulto, já que possuem a personalidade mais desenvolvida e tem menos chances de apresentar comportamentos mais agitados, como destruição de objetos, incômodos causados por filhotes. Além do mais, a iniciativa estimula a adoção daqueles animais que poucas chances têm em ser adotado.

O tamanho é importante. O recomendado um animal de pequeno e médio porte para que não leve a acidentes devido à força

Em relação às raças, é recomendado um animal sem raça definida, o "vira lata", já que tende a ser muito afetuoso e ter menos problemas de saúde. Em uma ONG ou abrigo, o responsável poderá indicar qual personalidade lá se dará bem com o idoso.