-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
Tribunal Superior Eleitoral veta candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva
Lula e Ministro Luiz Roberto Barroso
[Notícia] Quatro dos sete ministros consideraram o ex-presidente Lula inelegível pela Lei da Ficha Limpa. Defesa poderá recorrer ao próprio Tribunal Superior Eleitoral ou ao Supremo Tribunal Federal.

São Paulo - O TSE ( Tribunal Superior Eleitoral acabou de rejeitar nesta sexta-feira(31), o registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso desde abril, condenado em segunda instância pela Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.  

Continua depois do anuncio
A sessão que teve início por volta das 13h estendeu até 23h e foi acompanhada por milhares brasileiros nas redes sociais. Com o placar final de 4 votos a 1 contra Lula, mesmo ainda faltando o voto de dois ministros, o jogo já está decidido.

O voto do relator
O relator do pedido no TSE, ministro Luís Roberto Barroso, foi o primeiro a votar pela retirada de Lula da disputa, em razão de condenação em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro em órgão colegiado – uma das causas de impedimento previstas pela Ficha Limpa.

Durante a sessão, o ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), votou a favor da candidatura do petista, preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato. Fachin abriu a divergência no julgamento em relação ao relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso.

Segundo o Estadão, já prevendo que não poderão exibir no horário eleitoral a campanha de Lula para Presidência da República devido a decisão do TSE, petistas estariam publicando na internet o programa que estava previsto para ser divulgado neste sábado em rede nacional. Segundo informações um dos militantes que teria "vazado" a propaganda foi o deputado Carlos Zarattini (PT-SP)

O PT terá agora dez dias para substituir o candidato e, até que o faça, não terá direito ao horário eleitoral no rádio e na TV.

Antecipação de julgamento no Tribunal Superior Eleitoral é ‘discriminação’ contra Lula, diz Partido dos Trabalhadores.

A Senadora do Paraná e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou em nota que o TSE "descriminou" o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao antecipar o julgamento do seu pedido de candidatura a presidencia da república nesta sexta-feira(31).

“O julgamento feito às pressas passa por cima de ritos previstos na lei, como as alegações finais, diferentemente do que ocorreu com outras candidaturas impugnadas, como as de Geraldo Alckmin e Jair Bolsonaro, baluartes do golpe do impeachment”, afirmou Gleisi Hoffmann.

Redação do Portal de Pinhal
Com informações do Estadão e Exame