-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
Gás de cozinha sofre sexto reajuste do ano
Aumento pode ultrapassar os 4%; Aplicativo permite que consumidor saiba onde comprar botijão com melhor preço

O gás de cozinha, que há tempos vem pesando no orçamento do consumidor, ficará ainda mais caro. Além dos reajustes promovidos pela Petrobras, o mais recente aumento dos preços do botijão aconteceu devido ao dissídio salarial dos trabalhadores das revendas e distribuidoras, cuja data-base é em setembro.

Distribuidoras de gás anunciaram um aumento que varia entre 3,6% a 4,4% para o produto de 13 kg. Com tantas oscilações, uma pesquisa recente realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), detectou que cerca de 1,2 milhões de residências brasileiras começaram a apelar para a lenha ou carvão para cozinhar.

Outra mudança no comportamento dos consumidores causada pela alta dos preços é que muitos têm se arriscado a comprar produtos clandestinos, oferecidos bem abaixo do valor do mercado. No entanto, o principal risco do comércio ilegal é a falta de segurança: por não terem fiscalização da Agência Nacional do Petróleo, os botijões podem ter gás adulterado, conter o peso errado e, principalmente, vazar e causar acidentes fatais.

Com o avanço tecnológico, alternativas inteligentes surgiram para facilitar a vida das pessoas em diversos segmentos, inclusive na rotina e na economia doméstica. O aplicativo Chama é um bom exemplo disso possibilitando que consumidores encontrem revendedores de gás credenciados pela ANP pelo melhor preço e próximo de suas casas.

FUJA DO AUMENTO
Lançado em novembro de 2016, o Chama foi criado para suprir a necessidade de trocar um botijão de gás de forma rápida e prática, levando informações claras para o consumidor. 'As pessoas precisam de gás. Quando ele acaba, no meio da preparação da comida, esperam uma entrega em um período de 15 a 30 minutos', explica Otavio Tranchesi, diretor de marketing da startup.

Depois de baixar o aplicativo no celular, o cliente coloca seu endereço e a ferramenta mostra quais revendedores atendem a região, a marca vendida, o preço, o tempo estimado de entrega com base na distância e avaliação de outros clientes. Outra funcionalidade do aplicativo é permitir que o cliente acompanhe o status de seu pedido e, se tiver qualquer dúvida, pode entrar em contato imediatamente com o atendimento do Chama.

"A pesquisa é a melhor arma para o consumidor sempre e é isso que o aplicativo oferece. Na região central de São Paulo, por exemplo, o botijão de gás pode ser encontrado por preços que variam entre R$74 e R$84. Pedindo pelo telefone não é possível saber disso - algo que não acontece com quem usa o Chama, pois desta forma o consumidor escolhe o preço mais vantajoso e economiza bastante", afirma o executivo.

SOBRE O CHAMA
Disponível no Google Play e na App Store, o Chama é um marketplace que conecta revendedores de botijões de gás a clientes. Lançada em dezembro de 2016, a empresa reúne em um único ambiente mais de 2.000 revendedores regulamentados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Em apenas alguns cliques o usuário pode solicitar o serviço oferecido pela empresa e escolher o fornecedor que mais lhe agradar - selecionando informações como: valor cobrado, tempo de entrega e marca do produto. O serviço está presente em São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre.