-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
Jovens são os mais afetados com a falta de empregos em Espírito Santo do Pinhal
Atualmente o desemprego no Brasil é grande e já atinge milhões de brasileiros. A situação não é diferente aqui em Espírito Santo do Pinhal(SP). A queda dos postos de trabalho reduziu a renda mensal da população e a falta de oportunidades aliada a um alto custo de vida tem levado muita gente a migrar de Pinhal para garantir a sobrevivência.

Desde 2017, a população vem presenciando inúmeros comércios e industrias fechando as portas em nossa cidade, contribuindo ainda mais para crise. Todos os dias ouvimos relatos de famílias inteiras deixando Pinhal em busca de novo emprego nas grandes cidades.

Uma enquete rápida, realizada hoje no facebook do Portal de Pinhal, apontou quem entre 39 pessoas 62% declararam estar desempregadas. De acordo com os dados divulgados pelo Ministério do Trabalho no site do CAGED, as ocupações que mais demitiram e menos contrataram em Espírito Santo do Pinhal de janeiro a setembro de 2018 foram:

Operador de Máquinas Operatrizes
Admissão: 233
Desligamento: 331
Saldo: -98

Vendedor de Comércio Varejista
Admissão: 135
Desligamento: 181
Saldo: -46

Operador de Caixa
Admissão: 44
Desligamento: 62
Saldo: -18

Confira mais dados no site: http://bi.mte.gov.br/bgcaged/caged_perfil_municipio/index.php

Jovens são os mais afetados com o alto índice de desemprego

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma pesquisa que aponta que os jovens são a parcela da sociedade que mais tem sofrido com o alto índice de desemprego do país. De acordo com os dados apresentados, de 13 milhões de desempregados no país, 32% têm entre 18 e 24 anos, o que corresponde a um contingente de 4,1 milhões de jovens nesta faixa etária que está em busca de emprego.

De acordo com o economista José Jamil Adum, o número de jovens desempregados é referente à escolha das empresas em contratar pessoas mais experientes. “O mercado prefere contratar pessoas que possuam ‘know how’, que já tenham experiência e que a partir do momento que entrem na empresa, comecem a dar resultados. Cada vez é uma exigência maior. São vários fatores que dificultam esse jovem entrarem no mercado”, informou.

Pinhal e o Distrito Industrial

As promessas de que o Distrito Industrial vai melhorar a situação do desemprego, ainda é uma grande dúvida. Sabemos que para o projeto avançar ainda falta buscar empresas parceiras interessadas em investir em Pinhal. Enquanto isso o pinhalense vai dando seu jeitinho, comprando, vendendo de forma autônoma para tentar garantir o seu sustento.