-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
Lula é denunciado por lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato
Especialista em Direito Penal, Yuri Sahione, destaca que nova denúncia torna mais difícil a vida do ex-presidente Lula, pois não há limitação a quantos processos uma pessoa pode responder

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado na última segunda-feira (26) pela Força Tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo. Dessa vez, o petista foi acusado de ter recebido R$ 1 milhão para intermediar discussões entre o governo de Guiné Equatorial e o grupo brasileiro ARG.

A acusação aponta que, 'usufruindo de seu prestígio internacional, Lula influiu em decisões do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, que resultaram na ampliação dos negócios do grupo brasileiro ARG no país africano'

O objetivo das negociações era fazer a instalação da empresa no país africano. Segundo a denúncia, o ato configura crime de lavagem de dinheiro. O Ministério Público Federal (MPF) entende que Lula recebeu o valor em forma de uma doação da companhia ao Instituto Lula.

Por meio de nota, a defesa do ex-presidente afirma que a denúncia "é mais um golpe no Estado de Direito porque subverte a lei e os fatos para fabricar uma acusação e dar continuidade a uma perseguição política".

De acordo com o MPF, as provas apresentadas tiveram como base e-mails encontrados em computadores no Instituto Lula, apreendidos em março de 2016 durante ações da Operação Lava Jato.

Ainda segundo a denúncia, foi localizado um registro da transferência bancária de R$ 1 milhão pela ARG ao instituto no dia 18 junho de 2016. Um recibo emitido pela instituição na mesma data confirma a transação.

Para o MPF, não se trata de doação, mas sim uma dissimulação da origem do dinheiro ilícito, e, portanto, configura crime de lavagem de dinheiro.

Segundo o especialista em Direito Penal, Yuri Sahione, essa denúncia prejudica ainda mais a imagem do ex-presidente, tendo em vista que ele já está preso e responde a outros processos judiciais.

"O fato de ele já ter uma condenação confirmada em segunda instância e um processo que está em fase de conclusão, que é do sítio de Atibaia, e ter essa nova denúncia, só torna mais difícil a vida do ex-presidente Lula. Não há limitação por parte da justiça ou da lei com relação a quantos processos uma pessoa pode responder."

O ex-presidente Lula está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba desde abril deste ano. Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção no caso do tríplex no Guarujá (SP).


Sobre o CEU Law School
O CEU Law School é uma instituição de ensino executivo que contempla a formação completa de lideranças com foco na gestão, valores humanísticos e eixo interdisciplinar: Direito, Economia e Negócios. Fundado pelo eminente jurista Ives Gandra Martins, em 1972, foi o primeiro centro de pós-graduação não universitário a outorgar o título de especialização lato sensu em Direito Tributário no Brasil.

Com um corpo de excelência acadêmica, formado por renomados docentes, com ampla vivência no mercado nacional e internacional, oferece programas focados de extensão universitária que vão além do âmbito do Direito e possui a exclusiva metodologia participativa, denominada Método do Caso, que possibilita o desenvolvimento de habilidades analíticas e espírito crítico, contribuindo com a dinâmica do aprendizado. É, ainda, associada ao ISE Business School, escola de negócios parceira do IESE Business School, que foi reconhecido #TOP1 em Educação Executiva no mundo pela revista Financial Times nos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018. Os programas do ISE complementam a formação jurídica com conteúdos de liderança e negócios.