-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
Salário do prefeito de Espírito Santo do Pinhal é maior que o do prefeito do Rio de Janeiro
Uma cidade com apenas 44 mil habitantes paga um salário maior do que o atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro.

Atualmente em Espírito Santo do Pinhal, um prefeito ganha em média R$ 19.138,00 de salário bruto, o equivalente a 20 salários mínimos. Em 2016, o salário médio mensal para a população de Espírito Santo do Pinhal, segundo IBGE, era de aproximadamente 2 salários mínimos.

É o que mostra um levantamento feito pelo Portal de Pinhal, a partir de dados fornecidos por pelo portal da transparência das prefeituras. Pode se considerar que hoje Espírito Santo do Pinhal faz parte da lista das cidades que pagam melhor a seus prefeitos.

No Rio de Janeiro(RJ) por exemplo, o portal de transparência divulgou que o atual prefeito Marcelo Crivella, recebe um salário bruto no valor de R$ 18.983,00. Salário inferior ao salário do atual prefeito de nosso município, que possui apenas 44 mil habitantes.
Salário do prefeito de Espírito Santo do Pinhal é maior que o do prefeito do Rio de Janeiro

Salário do prefeito de Pinhal é 10 vezes maior que o da média da população pinhalense, segundo IBGE

A constituição brasileira dá autonomia às câmaras municipais para a fixação dos subsídios dos chefes do executivo de cada cidade. Os vereadores devem escolher o rendimento do próximo prefeito sempre antes de cada legislatura

Salário do prefeito de Espírito Santo do Pinhal é maior que o do prefeito do Rio de Janeiro
Os salários podem ser reajustados durante os quatro anos de mandato de acordo com o aumento dos salários dos servidores, como aconteceu aqui em Espírito Santo do Pinhal(SP). O atual prefeito teve o salário aumentado de R$ 18.797,85 para R$ 19.138,00 por conta dos reajustes concedidos aos servidores municipais.


Uma enquete realizada no facebook do Portal de Pinhal, revelou que 94% dos participantes desejam a redução do salário do prefeito de Espírito Santo do Pinhal

De acordo com o professor de Ciência Política da Puc-Rio, Ricardo Ismael, os altos salários de alguns chefes do executivo podem ser explicados pela falta de critérios ou mecanismos legais responsáveis por controlar a fixação dos subsídios.

— O que podemos perceber é que não há critério nenhum para a fixação do salário e, mesmo se a cidade não arrecada muito nem tem uma população tão grande, os vereadores têm liberdade para fixar salários muito altos, sem qualquer base ou justificativa. Por isso, há casos claros de abuso. No entanto, o salário tem que ser compatível com o cargo. Não pode ser muito baixo por dois fatores: primeiro porque a política não pode ser só para a elite, só para quem não vive dela; segundo, porque seria impossível trazer bons quadros, bons gestores para a administração municipal sem salários atraentes — explica o especialista.

Nas redes sociais a populações segue cobrando as autoridades por mudanças radicais na atual administração.  A falta de empregos, remédios, exames, as ruas esburacadas e o descaso das autoridades só aumentam ainda mais a revolta dos moradores.

Com informações do O Globo