-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --

Café: Cotações do arábica recuam cerca de 100 pts nesta tarde de 5ª na Bolsa de NY
As cotações futuras do café arábica encerraram a sessão desta quinta-feira (10) com queda de cerca de 100 pontos. O mercado externo do grão se acomoda tecnicamente depois de avançar forte nos últimos dias. Além disso, o câmbio também contribuiu para os ganhos.

O vencimento março/19 fechou o dia com queda de 105 pontos, a 104,25 cents/lb e o maio/19 teve recuo de 85 pontos, a 107,65 cents/lb. O julho/19 registrou 110,60 cents/lb com valorização de 80 pontos e o setembro/19 anotou 113,50 cents/lb e 80 de ganhos.

O mercado brasileiro operou do lado vermelho da tabela durante o dia em movimento técnico depois de registrar alta nos últimos dias, quando preocupações com o clima no Brasil e câmbio estavam no radar dos operadores. No entanto, o dólar contribui para as perdas.

A fraqueza do real em relação ao dólar está prejudicou os preços do café arábica, juntamente com abundante oferta, depois que os estoques de café monitorados pela ICE na quarta-feira tiveram uma alta de mais de quatro anos
destacou o site internacional Barchart.

O dólar comercial encerrou o dia com alta de 0,58%, a R$ 3,7091 na venda, influenciado pelo forte fluxo de saída. A moeda mais alta em relação ao real tende a encorajar as exportações, mas em compensação pesa sobre os preços externos do grão na ICE.

"A saída foi expressiva e fez um movimento brusco no dólar", disse para a agência de notícias Reuters um gestor de derivativos de um banco estrangeiro.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta quinta-feira sua estimativa de produção para a safra 2019 do Brasil em 53,4 milhões de sacas de 60 kg. A safra tende a ser de bienalidade negativa e representa uma redução de 10,8% ante a colheita de 2018.

Mercado interno
Os negócios com café no Brasil seguem de forma isolada. "Os preços internos dos cafés arábica e robusta recuaram fortemente em dezembro e iniciam janeiro em queda, influenciados pela baixa das cotações externas de ambas as variedades", disse o Cepea  (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 440,00 - estável. A maior oscilação foi registrada em Patrocínio (MG) com queda de 2,38% e saca a R$ 410,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 440,00 - estável. Não houve oscilação nas outras praças no dia.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 e estabilidade. A maior oscilação ocorreu em Patrocínio (MG) com baixa de 2,47% e saca a R$ 395,00.

Na quarta-feira (09), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 411,99 e avanço de 0,05%.

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícola