-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --
Em um ano, Pinhal gera apenas 25 novos empregos de carteira assinada
Os dados levam em consideração o número de admissões contra as dispensas nos 12 meses do ano.

Dezenove das 31 cidades da região de Campinas (SP) fecharam 2018 com números positivos na geração de empregos formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na manhã da última quarta-feira (23).

Espírito Santo do Pinhal, apesar de ter encerrado o ano com números positivos, gerando 25 novas contratações, ficou atrás da cidade de Estiva Gerbi, município de apenas 10 mil habitantes que, surpreendeu a região em 2018 com 130 novas vagas de empregos de carteira assinada.

As cidades que mais chamaram atenção por gerar empregos foram: Campinas (4.973), Indaiatuba (2.094) e Vinhedo (1.089).

Demissões
Os municípios que mais demitiram foram Jaguariúna (-1.081) e Mogi Guaçu (-606). Em Jaguariúna, a indústria da transformação foi a principal responsável pela baixa no saldo de vagas em 2018. Foram 828 dispensas. O segundo setor que mais demitiu foi serviços, com 252.

Em Mogi Guaçu, a agropecuária foi a maior responsável pelo resultado negativo no saldo de empregos no ano passado. O setor dispensou 466 trabalhadores. Já os serviços geraram 256 oportunidades.

Brasil fecha ano no azul
Após três anos seguidos de demissões, a economia brasileira voltou a gerar empregos com carteira assinada em 2018, quando foram abertas 529.554 vagas formais.

De acordo com dados oficiais, esse também foi o melhor resultado, para um ano fechado, desde 2013 - quando foram abertas 1.138.562 empregos com carteira assinada. Deste modo, é o maior número de vagas abertas em cinco anos.

Com informações do G1