-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --

Cavaleiro das Américas completou quatro meses de sua terceira jornada com esse recorde

Quando partiu no dia 17 de maio para cumprir a terceira e última longa jornada de sua vida, o jornalista e cavaleiro Filipe Masetti Leite sabia que poderia bater um recorde. Antes de finalizar a primeira etapa dessa viagem – que tem duração total de um ano –, que é Fairbanks, Alaska, Estados Unidos, a Grande Prairie, Alberta, Canadá, em 17 de setembro, exatamente quatro meses, ele completou a parte mais difícil do trajeto.

“Acabei de finalizar a Alaska Highway! Foram 2403 quilômetros em exatamente quatro meses, com meus dois mustangs. Sou o primeiro brasileiro a cavalgar a estrada mais difícil do mundo de norte a sul! Ursos, montanhas, nevascas, manadas de búfalos, nuvens de mosquitos…”, contou Filipe pelo Whatsapp à reportagem do Portal Cavalus.

Entre caminhos pelas montanhas rochosas, cruzando a Alaska Highway, Filipe também pegou uma nevasca em pleno verão canadense. Muitas dessas dificuldades ele previu no planejamento que fez, mas tudo só vai sendo realmente comprovado quando a cavalgada começou. Imprevistos, situações novas, uma paisagem de tirar o fôlego e alguns probleminhas facilmente resolvidos. A cada passo, a cada quilômetro percorrido, vai colecionando além de histórias muita experiência também.

A jornada do Cavaleiro das Américas pela Alaska Highway começou quando ele entrou em Delta Junction. Ainda no Alaska, Estados Unidos, ele passou por Tok e Tetlin Junction. Entrou no Canadá pelo Estado de Yukon, passando pelas cidades de Haines Junction, Whitehorse, Carcross Cutoff, Jakes Corner, Johnsons Crossing, Upper Liard e, no último relato que publicamos semana passada, ele tinha chegado ao Watson Lake. Seguiu para o Estado de British Columbia, passando por Fort Nelson, Charlie Lake e Dawson Creek.

Quando as patas dos cavalos tocaram Dawson Creek estava marcado o recorde. Depois de comemorar o fato de ser o primeiro brasileiro a cruzar a Alaska Highway a cavalo, ele seguiu em mais cinco dias para chegar a Grande Prairie, Alberta, e completou a primeira fase da viagem. Por conta do inverno rigoroso que se inicia no Canadá, Filipe começará a segunda fase em maio do ano que vem, quando parte rumo ao Calgary Stampede, com chegada em julho de 2020, finalizando a jornada.

Quando chegar a Calgary, que fica em Alberta, Canadá, o cavaleiro terá fechado as Américas de norte a sul, com quase 30 mil quilômetros anotados nos últimos oito anos. Para relembrar, Filipe Leite ganhou a simpatia do mundo quando percorreu 16000 quilômetros em uma aventura a cavalo saindo de Calgary até o Espírito Santo do Pinhal, São Paulo, Brasil – entre 2012 e 2014. E depois, em um ano – entre 2016 e 2017 – ele percorreu um trajeto de mais de cinco mil quilômetros, com saída do Parque do Peão de Barretos até Ushuaia, cidade na Patagônia argentina, chamada de ‘Fim do Mundo’.

Por Luciana Omena
Fonte Cavalus.com.br