-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --

Objetivo, segundo o governo, é evitar fraudes e diminuir custos de fiscalização. Acidentes até o fim de 2019 continuam cobertos  presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou, nesta segunda-feira (11/11/2019), medida provisória que, na prática, extingue Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por veículos automotores de via terrestre, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não, o chamado DPVAT.  O texto da MP será publicado no Diário Oficial da União dessa terça-feira (12/11/2019) e se tornará lei até o Congresso analisar. Os parlamentares têm até 180 dias para aprovar ou negar a medida.  Os acidentes ocorridos até o dia 31 de dezembro deste ano continuam cobertos pelo DPVAT. Sendo assim, a Seguradora Líder continua à frente dos procedimentos referentes a esses acidentes até o fim de 2025.  Depois dessa data, a União se responsabilizará por essas obrigações.
Objetivo, segundo o governo, é evitar fraudes e diminuir custos de fiscalização. Acidentes até o fim de 2019 continuam cobertos

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou, nesta segunda-feira (11/11/2019), medida provisória que, na prática, extingue Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por veículos automotores de via terrestre, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não, o chamado DPVAT.

O texto da MP será publicado no Diário Oficial da União dessa terça-feira (12/11/2019) e se tornará lei até o Congresso analisar. Os parlamentares têm até 180 dias para aprovar ou negar a medida.

Os acidentes ocorridos até o dia 31 de dezembro deste ano continuam cobertos pelo DPVAT. Sendo assim, a Seguradora Líder continua à frente dos procedimentos referentes a esses acidentes até o fim de 2025.

Depois dessa data, a União se responsabilizará por essas obrigações.

Fonte Metrópoles