-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --

Há 131 anos, Espírito Santo do Pinhal se antecipou à Lei Áurea e libertou os escravos
Pinhal foi pioneira na abolição da escravatura, em 1888, antecipando a decisão do Estado de São Paulo

Em fevereiro de 1888, convocados pelo Barão de Mota Paes, reuniram-se na cidade, os fazendeiros senhores de escravos para fixar uma data em que seria abolido a escravidão. Este evento ficou marcado para dia 25 de dezembro, em homenagem a Jesus Cristo.

Impacientemente, dominado pelo ideal abolicionista, o Barão de Mota Paes, não esperou pela data marcada e libertou imediatamente os seus escravos. Gesto esse que, contribuiu para que parentes e amigos, também proprietários de escravos o acompanhassem neste ideal.

Pouco tempo depois esse magnífico exemplo era seguido por outros senhores de escravos e a 16 de Abril de 1888, foi definitivamente abolida a escravidão em Espírito Santo do Pinhal, 28 dias antes da assinatura da Lei Áurea, pela princesa Izabel.

Durante todo este processo, destaca-se ainda a participação ativa do então Vigário de Montenegro, Dr. José Almeida Vergueiro no processo de libertação geral dos escravos em nosso município.

Com informações de A Casa Do Escritor Pinhalense
Foto: Barão de Mota Paes e Dr José Almeida Vergueiro - Igreja Matriz de Espírito Santo do Pinhal - Acervo do pinhalense Gera Staut